Deixa Ir

Eu deveria amarrar-te na cama

Algemar-te em minha casa

Deveria apagar seus contatos

Deixar só o meu

Cobrir sua casa de fotos minhas

Fotos nossas

De amor

Impregnar seus lençóis com meu perfume

Com minha paixão

Permito-me enlouquecer por ti

Loucura sã de um amante desvairado

Serenatas de luxuria ao entardecer

Beijos de obcessão as madrugadas

Eu deveria ser o dono de todo o seu ser

Mas fui burro

Deixe-te ir

Deixei

Nepente

image

Não fazia sentido

Não fazia questão

Viver

Sonhar

Coisas vulgares

A um viajante sem destino

Até encontrar uma virgula

Que faça sua frase fazer sentido

Uma capa para o seu livro rasgado

Um cobertor para seu corpo desnudo

Você

Meu nepente

Meu caminho

Minha salvação

Morrendo

Eu não queria estar aqui

Isso ficou claro

Evidente em todos os meus traços

Tomei aversão a esta vida

A este corpo

Mas estou aqui

Preso a ela

E não morro

Não efetivamente

Mas estou morrendo

Todos os dias

Um pouco mais

Sem sangue

Sem dor

Apenas sofrimento

Rancor

ódio

Estou preso

Nesta vida

Neste corpo

Eu queria morrer

Filme

Encostado na janela,

Eu posso ver meu reflexo deprimente no vidro

É como em um filme

Ouvir a musica de fundo

Talvez alguém chorando

Deve ser aquela parte,

Em que perdido,

O personagem se afunda

E então se encontra minutos depois

Mas não há voltas aqui

Não há encontro

Ou uma passagem abrupta de tempo

Não é um filme

Eu estou me olhando

Inerte e condescendente  

Pelo reflexo vergonhoso no vidro

Não é um filme