Filme

Encostado na janela,

Eu posso ver meu reflexo deprimente no vidro

É como em um filme

Ouvir a musica de fundo

Talvez alguém chorando

Deve ser aquela parte,

Em que perdido,

O personagem se afunda

E então se encontra minutos depois

Mas não há voltas aqui

Não há encontro

Ou uma passagem abrupta de tempo

Não é um filme

Eu estou me olhando

Inerte e condescendente  

Pelo reflexo vergonhoso no vidro

Não é um filme

autorias
Você acha bonito e divertido fazer todo mundo de idiota? Sério, você se orgulha de ser assim? Pra você é muito fácil apenas não atender telefonemas enquanto floresce em cada uma de suas presas a muda do ressentimento e humilhação, que lá na frente produzirá as maiores sombras frígidas. Você nem ficará sabendo. Permaneceremos jogadas no lixo que é sua memória.
Gabito Nunes.  (via autorias)
autorias
Não morro de amores por pessoas sem mistério, quando se é muito transparente, muito risonho e educado é raro ser levado a sério. Prefiro os mais silenciosos, os que abrem a boca de menos, os mais serenos e mais perigosos. Aqueles que ninguém define e que sempre analisam os fatos por um novo enfoque. Prefiro os que têm estoque aos que deixam tudo à mostra na vitrine.
Martha Medeiros.   (via autorias)

Tragadas

Acendi um cigarro

Na primeira tragada

Foi como se o mundo sumisse

Todos os problemas desapareceram

Antigas dores

Amores

Decepções

Não lembrei nomes

Nem pensei em casos

Foi só eu e a fumaça

Na segunda tragada

O tom noir já estava impregnado em mim

Gosto dele

Sem afetações

Neutro

Livre

Meus olhos semi-cerrados

Minha voz entre-cortada

Eramos só eu e a pouca fumaça

Não houve uma terceira tragada