Medo

Eu tinha medo de ficar sozinho

Então,

Vagando em meus pensamentos

Eu percebi que estou sozinho

De que adianta ter medo de algo acontecer quando ele já está acontecendo?

Não se pode ter medo do futuro, quando é o seu presente

Logo,

Eu passei a ter medo de me apegar a solidão

Acostumar-me a ficar só

E esquecer das boas companhias

Porém

Surgiu um novo medo

De que eu perdesse tempo buscado-as

De que procurasse companhias impossíveis

Que sofresse por alguém que não quer estar comigo

Mas eu voltei a mim

E me vi sofrendo

Por você

Amor?

Eu não sei

As vezes me acho sombrio demais para amar

Quieto demais

Então vejo você

E meu coração acelera

Estremeço

Sinto-me fraco

Sem o controle das pernas

Falo mais do que posso

É estranho

Diante de sua indiferença

Seu silencio

Eu me questiono

Penso que devo mudar

Ser mais sociável

Por algo mais feliz para fora

Mas percebo que estarei mentindo

E logo me vejo sombrio e quieto

Distante do amor

E então vejo você